Biografia

Iniciou suas atividades como músico guitarrista  de 1983 a  1984 com a banda Novo Tempo .

De 1986 a integrante da Banda Lumiar guitarrista, compositor e vocalista  da Banda Lumiar .

Em 1988 a banda Lumiar muda de nome para “Cidade Negra”, em 1986.Depois que escolheram o nome definitivo para o grupo, a banda “Cidade Negra” gravou uma fita “demo” com suas canções. Esta fita “demo” foiproduzida por “Nelson Meirelles” (produtor musical e primeiro baixista da banda “O Rappa”). Com a ajuda de “Ricardo Barreto” (“Blitz”) que entregou a fita para “Bernardo Vilhena” (poeta e letrista), os jovens músicos deram umagrande guinada em suas carreiras. “Bernardo Vilhena” apresentou a fita“demo” da banda para “Sérgio Lopes” (diretor artístico Sony Music), e em 1990 a banda“Cidade Negra” consegue gravar seu primeiro CD profissional pela gravadora

“Epic Records” (subsidiária da “Sony Music”).

O álbum foi lançado em 1991, intitulado“Lute para Viver”. Maduro, com letras politizadas, mas também fala sobre a vida e seus ensinamentos. As faixas que mais se destacam são “Falar a Verdade” (hit que na época tocou em todas as rádios do Brasil e que até hoje é pedido nos shows) e “Mensagem” (faixa que conta com a participação mais que especial do consagrado“Jimmy Cliff”).

Ver mais

Apreciador da diversidade musical, em 2012 “Da Ghama” lança seu primeiro álbum da carreira solo, o CD “Violas & Canções”, marcando seu retorno aos estúdios. Neste novo trabalho, “Da Ghama” investiu em novas sonoridades, como o samba-bossa e o pop, sem abandonar o reggae. Através dele, o artista conseguiu mostrar ainda mais o seu lado como compositor de MPB, sem rótulos, independentemente do estilo apresentado. No CD, “Da Ghama” contou com os parceiros de composição “Marcos Valle”, “George Israel” (“Kid Abelha”) e a participação vocal de “Arlindo Cruz”. Graças ao disco “Violas & Canções”, “Da Ghama” conseguiu uma oportunidade de se envolver mais diretamente com seus projetos, tanto como artista, quanto como produtor. Da GhamA recebeu em 2012 o prêmio como compositor nos “Melhores do Reggae” no “Expresso Brasil”, em São Paulo, além de receber homenagens na “Prefeitura do Rio de Janeiro” e também na “Prefeitura de Belford Roxo”, sua cidade do coração.

“Antes de se tornar um artista conhecido em todo o Brasil, ‘Da Ghama’ teve muitas profissões até se firmar na música. Ele trabalhou como feirante, entregou farinha para padarias, entregou pão, cortou cana-de-açúcar, foi ajudante de soldador, pintor de automóveis, trabalhou na conhecida livraria ’Eldorado’, foi pára-quedista do exército (onde também participou da equipe de corrida), fora as modalidades de esporte que aprendeu, como o karatê e o kung fu. Sua última profissão antes de viver definitivamente de música, foi como faxineiro diarista, onde trabalhavaem uma agência de limpeza, junto com os outros integrantes da banda “Lumiar”.

Trabalhando todos juntos, eles poderiam conciliar os dias de trabalho com os dias em

que havia compromissos da banda, servindo também como uma forma de se manterem

financeiramente, enquanto ainda não conseguiam viver apenas de música.”

Em 1992, o grupo atravessou fronteiras, indo tocar no “Reggae Sunsplash

Festival”, em Montego Bay, na Jamaica, tornando-se os primeiros artistas

latino-americanos a participarem do evento. Quando retornou, a banda voltou

aos estúdios e, em seguida, lançaram seu segundo disco intitulado “Negro No

Poder”.

Em 1994, “Rás Bernardo” saiu da “Cidade Negra”, pois decidiu fazer carreira solo, entrando o novo vocalista “Toni Garrido”. Neste mesmo ano, abanda lançou seu terceiro CD intitulado “Sobre Todas As Forças”, com produção de “Liminha”. O som do grupotornou-se mais diversificado, mais pop,porém mantendo as raízes do reggae e os temas sociais. O terceiro álbum coroou a banda, consagrando-a para o sucesso, com grandes hits como “A Sombra da Maldade” e“Pensamento”. O disco caiu nas graças do público, até mesmo daqueles que nunca

haviam dado bola para o ritmo jamaicano. O grande destaque de “Sobre Todas As Forças”

foi a romântica canção “Onde Você Mora?”,de autoria de “Nando Reis” e “Marisa

Monte”. O CD também contou com a participação de “Gabriel, O Pensador”.

 

Em 1996, o CD “O Erê”, também produzido por “Liminha”, solidificou osucesso da banda. A canção “Firmamento”juntamente com a faixa-título “O Erê” foram os principais hits do álbum.

Em 1997, “Da Ghama” abriu sua própria empresa, a “Reggae Brasil Produções Artísticas”.

A empresa atua até os dias de hoje como editora musical e produtora de eventos. Ao

abrir a empresa, “Da Ghama” passou aproduzir seus próprios projetos sociais e musicais paralelamenteaos trabalhos da “Cidade Negra”.

Em 1998, surge o quinto CD intitulado “Quanto Mais Curtido Melhor”,novamente produzido por “Liminha”, emplacando nas paradas com mais umhit, a música “A Estrada”. O álbum conta com a participação de “Lulu Santos” na inédita “Sábado à Noite”.

Em 1999, foi lançado o CD duplo “Hits & Dubs” e este trabalho mostrou o quanto a banda é reconhecida dentro e fora do país. Enquanto o disco “Hits”contém uma coletânea com os maiores sucessos da banda desde o seu início, o disco “Dubs” trata-se de versões das canções da banda remixadas por algunsdos maiores nomes do reggae e do dub, como “Lee ‘Scratch’ Perry”, “Steel Pulse” e “Mad Professor”, e de produtores amigos da banda como “Nelson Meirelles”, “Liminha” e “Paul Ralphes”. Ainda na década de 90, a bandaparticipou de um documentário da série “Rough Guide”, produzida pela rede de televisão britânica “BBC”, que falava sobre a Música Popular Brasileira.

Em 2000, a banda lança o sexto discointitulado “Enquanto O Mundo Gira”. Sendo um álbum mais pop, destacam-se as canções “A Flecha e o Vulcão”, “Podes Crer” e “Voz do Excluído”, esta com participação de “MV Bill”. Um CD com mais guitarras e menos sopro,com tendência também para o rock, foi produzido por “Liminha”, “Chico Neves” e“Paul Ralphes” e trouxe letras compostas por nomes importantes como “Herbert Vianna”(“Os Paralamas do Sucesso”), “Jorge Mautner”e “Nelson Motta”.

Em 2002, a convite da “MTV”, o grupo abraçou o projeto “Acústico MTV”,registrado em CD e DVD. Produzido por “Liminha” e “Paul Ralphes”, o álbum é uma coletânea de grandes sucessos da banda em versões “desplugadas” e levemente retocadas.

Além dos grandes hits, o trabalho apresentou as inéditas “Girassol”, “Berlim” e a versão em

português de “Johnny B. Goode” de “ChuckBerrry”, com o arranjo igual a versão de “Peter

Tosh”. O acústico contou com a participação de “Gilberto Gil” em sua própria canção “Extra”.

Após o álbum acústico, o CD “Perto deDeus” foi o primeiro lançamento da banda.Produzido por “Paul Ralphes” e lançado em 2005, o disco resgata a raiz doreggae. Neste trabalho, destaca-se a canção “Perto de Deus” e também as canções“Além das Ondas”, “Eu Sei Que Ela” e “Homem Que Faz Guerra”, que contou com a participação do rapper “Rappin Hood”. O álbum também apresenta a versãode um dos maiores sucessos de “Bob Marley”, a música “Concrete Jungle”.

Em 2006, comemorando 20 anos de carreira, o grupo carioca lançou pela“Sony BMG” o CD e DVD “Direto – Ao Vivo”. Gravado na “FundiçãoProgresso”, na Lapa, Rio de Janeiro (RJ), o trabalho traz dezoito faixas,incluindo os principais hits, além de sete canções inéditas, três delas gravadas em estúdio. Dentre as inéditas, destacaram-se as canções “Bamba” (ao vivo) e

“O Paraíso Tem Um Tempo Bom” (estúdio). O álbum contou com as participações especiais de “Lulu Santos” e “Os Paralamas do Sucesso”, engrandecendo aindamais o trabalho.

Em 2007, a banda “Cidade Negra” lançou pela gravadora “EMI Music” o CD eDVD “Diversão – Ao Vivo”, gravado no“Teatro Popular” (Niteroi – RJ). Neste álbum produzido por “Nilo Romero”, “Cidade Negra” homenageia grandes nomes da música brasileira como “Cazuza”, “ChicoBuarque”, “Jorge Ben Jor”, “Legião Urbana”,regravando sucessos da MPB em ritmo de

reggae. A música de trabalho do álbum foi“Meu Coração”, composição de “Gilberto Gil”

e “Pepeu Gomes”, lançada originalmente em 1979.

Em 2008, “Toni Garrido” saiu da “Cidade Negra”, entrando o novovocalista “Alexandre Massau”. Neste mesmo ano, foi lançada uma coletânea intitulada “Cidade Negra – Perfil” contendo grandes sucessos da banda.

Após a saída de “Toni Garrido”, o guitarrista “Da Ghama” continuou na banda durante um ano e meio, e em 2009 também decidiu sair do grupo por haver divergências de opiniões e planos entre os integrantes. A saída da banda “Cidade Negra” foi um passo muito importante para o artista, pois a partir deste momento “Da Ghama” conseguiu mais tempo para se dedicar à família, além de poder focar ainda mais nos projetos de sua empresa, a“Reggae Brasil produções Artísticas”.

Apreciador da diversidade musical, em 2012 “Da Ghama” lança seu primeiro álbum da carreira solo, o CD “Violas & Canções”, marcando seu retorno aos estúdios. Neste novo trabalho, “Da Ghama” investiu em novas sonoridades, como o samba-bossa e o pop, sem abandonar o reggae. Através dele, o artista conseguiu mostrar ainda mais o seu lado como compositor de

MPB, sem rótulos, independentemente do estilo apresentado. No CD, “Da Ghama” contou com os parceiros de composição “Marcos Valle”, “George Israel” (“Kid Abelha”) e a participação vocal de “Arlindo Cruz”. Graças ao disco “Violas & Canções”, “Da Ghama” conseguiu uma oportunidade de se envolver mais diretamente com seus projetos, tanto como artista, quanto como produtor.Neste mesmo ano, “Da Ghama” recebeu o prêmio como compositor nos“Melhores do Reggae” no “Expresso Brasil”, em São Paulo, além de receber homenagens na “Prefeitura do Rio de Janeiro” e também na “Prefeitura de Belford Roxo”, sua cidade do coração.

Agora em 2016, “Da Ghama” lança seu novo CD, intitulado “BaixÁfrikaBrasil”, marcando sua volta às raízes do reggae, como uma forma de devolver ao público, principalmente da Baixada Fluminense, tudo de bom que recebeu ao longo de sua carreira. O disco reforça a ideia da “Década Internacional de Afrodescendentes (2015 / 2024)”, instituída pela “ONU –Organização das Nações Unidas”,apresentando não apenas músicas de reggae,mas também uma proposta cultural, social e ambiental, contando com a participação de artistas de diversos estilos musicais, fortalecendo a proposta e homenageando a cultura negra no Brasil e no mundo. Com o objetivo de mostrar a “Baixada Fluminense Afro-Brasileira”, o álbum conta com um minucioso trabalho de pesquisa, em que até o encarte do CD contém fotos históricas da região.

Selecionado no final do ano de  2017 entre 400 candidatos para a vaga como cantor tenor barítono para o coral Cênico DA FUNDAÇÃO CESGRANRIO e atuou no espetáculo RAÍZES INDÍGENAS nos anos de 2018 e 2019.

Participe das redes sociais oficiais!

Siga a gente nas redes sociais!

Agenda

[MEC id="731"]

Videos Clips

LIGUE PARA SHOWS

(21) 99826-6501

E-MAIL

Enviar